Vídeo mostra deputado de MT reclamando de valor de suposta propina

Um vídeo entregue pelo ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa (PMDB) à Procuradoria Geral da República (PGR), no acordo de delação premiada firmado por ele, mostra o deputado Gilmar Fabris (PSD) insatisfeito com o valor da suposta propina. O acordo de delação do ex-governador já foi homologado pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF). Fabris não se manifestou sobre o caso.

Nas imagens, ele questiona o ex-chefe de gabinete de Silval, Silvio Cezar Corrêa, que era responsável pelo pagamento de propina e outras vantagens indevidas a políticos, durante a gestão de Silval Barbosa, sobre os R$ 100 mil que seriam pagos a ele.

Segundo Silval Barbosa, Fabris é um dos sete deputados estaduais que, entre 2012 e 20013, o procuraram e exigiram dinheiro de propina de obras da Copa do Mundo de 2014 e do programa MT Integrado para aprovar as contas do Executivo durante a gestão dele. Para o apoio, cada deputado teria cobrado R$ 1 milhão e, após muitas negociações, o ex-governador afirmou que os deputados aceitaram receber R$ 600 mil em propina cada, que foram pagos em 12 parcelas.

Na conversa com o então chefe de gabinete, que era considerado homem de confiança de Silval Barbosa, Fabris pergunta quanto os outros, possivelmente se referindo a outros deputados, iriam receber e Sílvio diz que os outros receberiam R$ 50 mil, mas promete a entrega do restante em outro dia.

O vídeo gravado sem que o parlamentar soubesse, por meio de uma câmera instalada na sala de Sílvio Corrêa, traz o seguinte diálogo entre Fabris e Sílvio:

Gilmar Fabris: E aí?
Sílvio Corrêa: Chegou um pedaço aí!
Fabris: Pedaço? Por que? Só um pedaço?
Sílvio: Só um pedacinho!
Fabris: Uai! Você tá doido?
Sílvio: Cem (mil reais)
Fabris: Por que? Porque todo mundo está levando inteiro
Sílvio: Tá nada
Fabris: É?!
Sílvio: Hum! não
Fabris: Estão levando como?
Sílvio: Cinquenta (mil reais)
Fabris: Tão levando quanto?
Sílvio: Cinquenta (mil reais)
Fabris: Só? O que que é isso? E os outros?
Sílvio: Verdade, mas amanhã vai acontecer mais!
Fabris: E os outros?
Sílvio: Segunda também.

Provas em vídeo

Silval Barbosa também entregou ao Ministério Público Federal (MPF) gravações de outros políticos recebendo dinheiro vivo. De acordo com o ex-governador, os valores pagos eram de esquemas de propina no estado. Entre os políticos que aparecem está o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), que à época era deputado estadual. Ele aparece nas imagens colocando maços de dinheiro no paletó. Emanuel Pinheiro alegou que não fez nada ilícito e que vai comprovar isso na Justiça.

Mensalinho

Além das propinas, de acordo com Silval Barbosa, os deputados estaduais recebiam um ‘mensalinho’ para não denunciar fraudes e desvios do governo e na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). Nos depoimentos à PGR, ele declarou que os pagamentos funcionavam como um “cala boca” da Mesa Diretora da ALMT para que os deputados não denunciassem as fraudes na Casa de Leis e no governo.

fonte=G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *