Saúde do coração está diretamente ligada à vida sexual masculina

No Brasil, quase 40% dos homens até 39 anos e 20% daqueles com mais de 40 só vão ao médico quando se sentem mal. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), homens brasileiros vivem, em média, sete anos a menos que mulheres e apresentam maior incidência de certas doenças.

Nesta terça-feira (19/11), comemora-se o Dia Internacional do Homem e, segundo o Ministério da Saúde, o Brasil está entre os dez países com o maior índice de mortes por doenças cardiovasculares, sendo os homens a maioria das vítimas. Dados disponíveis no DATASUS apresentam como as três principais causas de mortalidade da população masculina as doenças cardiovasculares, as causas externas (violências e acidentes) e as neoplasias. Dentre as neoplasias, em Goiás, a primeira causa de óbitos é o câncer de pulmão, seguido pelo câncer de próstata.

O Novembro Azul é um movimento criado pela sociedade para dar visibilidade à necessidade de ações de promoção da saúde e prevenção de doenças que acometem a população masculina. “E o que poucos homens sabem é que a saúde do coração está diretamente ligada à sua saúde sexual, pois doenças como hipertensão, aumento do colesterol, obesidade e hábitos como consumo de tabaco e álcool, além do estresse, são fatores de risco que atingem o coração e têm impacto direto na vida sexual dos homens, podendo causar a tão temida disfunção erétil”, revela o urologista do Hospital do Coração Anis Rassi, Fernando Franco Leão.

Uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) aponta que a condição é um dos problemas de saúde mais temido pelos homens, depois das doenças cardiovasculares e o infarto. A disfunção erétil é observada em 5% dos homens aos 40 anos e em até 15% dos homens aos 70. Embora sua consequência mais evidente se dê durante o ato sexual, ela pode ser indício de outros problemas e deve ser vista como um alerta. Com causas psicológicas e orgânicas, a disfunção erétil é um dos marcadores para a doença cardíaca e, em alguns casos, ela pode preceder o infarto.

Segundo o urologista, “a dificuldade de ter ou manter uma ereção pode estar associada a problemas vasculares, quando não há uma boa circulação de sangue pelo corpo, mais precisamente, quando existe um fluxo sanguíneo inadequado para as artérias do pênis”. O médico afirma ainda que estresse ou maus hábitos alimentares e consumo de álcool e tabaco também podem impactar na vida sexual masculina.

Além de avaliações de rotina, é importante manter um estilo de vida saudável no combate a problemas de saúde. A prática de atividade física regular aliada à alimentação equilibrada faz parte da fórmula para driblar esses problemas. Porém, eles são intrínsecos com a chegada da idade. Além disso, ele recomenda fazer checkup após os 40 anos.

Principais doenças que afetam a saúde do homem:

Doenças cardiovasculares – infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral estão entre as principais causas de morte no Brasil. A maior incidência é entre os homens. Os fatores de risco incluem pressão alta, obesidade e alguns hábitos relacionados ao estilo de vida, como tabagismo e sedentarismo.

Câncer de pulmão – atinge duas vezes mais homens do que mulheres. Maior parte dos casos diagnosticados (90%) está associada ao hábito de fumar. Os principais sintomas são tosse, dor no tórax, escarros com sangue e falta de ar.

Câncer de próstata – é o segundo tipo de câncer mais comum entre homens. Quando diagnosticado no início, tem 90% de chances de cura. Mas, para isso, é preciso quebrar o tabu e realizar o exame de toque retal periodicamente a partir dos 40 anos, além de fazer consultas periódicas com um urologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *