Nelson Leal será o novo presidente da AL-BA após acordo

Está batido o martelo. O deputado estadual Nelson Leal (PP) será o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) no biênio 2019-2020. Oficialmente, o progressista será eleito em fevereiro do próximo ano, mas um acordo da base do governador reeleito Rui Costa (PT) já sacramentou que Leal será o chefe da Casa. O outro candidato ao comando da AL-BA, Alex Lima (PSB), será o vice-presidente. Pelo pacto, o parlamentar Adolfo Menezes (PSD), que também aspirava o posto, será o presidente no biênio 2021-2022. Leal disse que o “diálogo” foi a pedra angular para o acordo.  “Estou feliz, decisão madura, estamos preocupados com o nosso estado, com o crescimento da Bahia. Chegamos a um acordo para sermos mais um instrumento para ajudar a Bahia a se desenvolver. Agradeço aos amigos, agora é continuar trabalhando e começarmos um novo desafio. Conversamos com os quatro candidatos, despindo de qualquer vaidade. O fundamental foi o entendimento entre a gente, nosso grupo político”, afirmou.

Menezes ressaltou que o processo que definiu Leal como presidente não deixou “rusgas”. “O governo está com muita dificuldade, e o governador fez esse acordo para ficar tudo em paz dentro da base. Para mim, problema zero”, garantiu. Segundo ele, o acordo selado ontem não interfere nas eleições futuras. “Não interfere porque todo mundo serve de um lado. Não teve rusga, não teve eleição interna. Foi o melhor caminho para o governo, para a Assembleia”, ressaltou.

O acordo atende pedido de Rui Costa que queria que o novo presidente da AL-BA fosse definido dentro do grupo governista. O petista deixou claro que não gostaria de ver um futuro comandante do Legislativo baiano ser decidido com o apoio da oposição, como ocorreu no ano passado, quando a minoria foi decisiva para a vitória de Angelo Coronel (PSD). Alex Lima afirmou que o governador foi uma espécie de “juiz da paz”. “A eleição é em torno de quem reúne as melhores condições, quem tem mais votos. Tenho certeza que Nelson Leal honrará o Legislativo da Bahia. O processo se deu com toda democracia”, disse. O pacto também definiu que o deputado estadual Rosemberg Pinto (PT) será o líder do governo na AL-BA, em lugar de Zé Neto (PT), que foi eleito para a Câmara dos Deputados na eleição deste ano.

O PSB foi um dos partidos que mais pressionaram pela candidatura. Segundo a agremiação, seria uma forma de compensá-la por não ter sido contemplada na chapa majoritária. A senadora Lídice da Mata foi preterida pelo senador eleito Angelo Coronel (PSD). “Alex Lima atenderia a um conceito defendido pelo próprio governador de que  a presidência da ALBA seja indicada por um partido que não componha a chapa majoritária, contribuindo para um equilíbrio maior entre as forças políticas que compõem o seu governo. O PSB reconhece a importância da liderança do governador Rui Costa para referenciar a construção da unidade no seu governo”, informa a agremiação, em texto divulgado para a imprensa, ontem.

Nas redes sociais, o governador disse que ficou “contente” com o acordo. “Hoje, tive a felicidade de participar de um acordo histórico sobre a presidência da Assembleia, que reflete o amadurecimento político de nossos deputados. Desejo muito sucesso a Nelson Leal e Alex Lima, nossos candidatos a presidente e vice-presidente da Assembleia. Muito sucesso também a Adolfo Menezes, já indicado para presidir o Legislativo no biênio 2021/22. Estamos todos focados em um único objetivo: superar as consequências de uma das maiores crises econômicas da história do país com muito trabalho e seriedade”, ressaltou.

Tribuna da Bahia

Por Rodrigo Daniel Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *