MPT pede indenização de R$ 225 mi a empresa por uso de amianto

O Ministério Público do Trabalho da Bahia (MPT) solicitou à Justiça Federal o pagamento de R$ 225 milhões em indenizações por danos morais coletivos devido à utilização irregular de amianto na planta da empresa Eternit, em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

O material foi proibido em mais de 50 países por ser comprovadamente cancerígeno, mas é liberado no Brasil. Segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), 100 mil pessoas morrem anualmente por doenças causadas pelo composto.

Agentes do MPT identificaram que os funcionários estavam vulneráveis a situações prejudiciais à saúde. A indenização será destinada a um fundo dedicado a políticas para a promoção do trabalho digno na Bahia.

A empresa também deverá parar de utilizar amianto na produção de telhas e tanques.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *