Lula já obtém neste ano 12 vitórias judiciais impulsionadas pelo STF

O ex-presidente Lula já obteve apenas neste ano 12 grandes vitórias na justiça diante dos processos e investigações que respondia desde que se tornou alvo da Operação Lava Jato, em 2015. Com os direitos políticos reabilitados desde março, o petista, que deve concorrer a presidência em 2022 contra Jair Bolsonaro, conseguiu, só nos últimos dias, ter êxito em duas decisões em diferentes instâncias judiciais.

Na segunda-feira (13), foi divulgado que a Justiça Federal de São Paulo mandou arquivar investigação derivada da delação do empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, sobre suposto tráfico de influência na Costa Rica em uma ocasião em que o ex-presidente havia ido ao país para fazer uma palestra.

No dia seguinte, terça-feira (14), o ministro do Supremo Ricardo Lewandowski mandou suspender de forma provisória a tramitação de autos que poderiam reavivar no Distrito Federal duas antigas ações penais já retiradas do Paraná por ordem da corte.

As acusações, apresentadas pela força-tarefa paranaense, tratavam dos casos de um terreno comprado pela Odebrecht para o Instituto Lula e de doações feitas pela empreiteira para a entidade do ex-presidente.

Essas decisões em benefício de Lula se somam a outras expedidas nos últimos meses que tiveram influência da ordem que considerou o ex-juiz Sergio Moro parcial ao julgar o ex-presidente na Lava Jato do Paraná.

O que a defesa diz

Em nota enviada à Folha de S. Paulo, o advogado Cristiano Zanin Martins, responsável pela defesa do ex-presidente, afirmou que absolvições foram obtidas perante a Justiça Federal de Brasília e de São Paulo, “muitas delas anteriores ao julgamento da suspeição do ex-juiz Sergio Moro pelo Supremo Tribunal Federal”.

Diz que houve “prejuízos irreparáveis sofridos pelo ex-presidente e por seus familiares a partir do ‘plano’ engendrado pela Lava Jato, conforme consta expressamente nas mensagens que extraímos dos arquivos oficiais da ‘Operação Spoofing’ a partir de autorização do Supremo”.

“Na primeira manifestação escrita, apresentada em 2016, demonstramos que havia um conluio entre o então juiz Sergio Moro e os procuradores da Lava Jato de Curitiba, com o objetivo de perseguir e condenar Lula injustamente”, afirma.

Veja as decisões pró-Lula em 2021

08/03 – Anulação de sentenças por Fachin, atingindo 4 ações

23/03 – Suspeição de Moro

21/08 – Absolvição na Operação Zelotes, no DF

24/08 – Extensão da suspeição por Gilmar Mendes

09/08 – Trancamento de ação penal em São Paulo

21/08 – Tentativa de retomada do caso do sítio no DF

03/09 – Caso sobre propina da Odebrecht, no DF

13/09 – Delação de Léo Pinheiro, em São Paulo

14/09 – Suspensão pelo STF de casos ‘paranaenses’

Com informações do Jornal Folha de S. Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *