Jackson Bonfim apóia declarações de Eures Ribeiro que atribuiu “molecagem” nas atitudes do Governo Federal.

Em tom de revolta, o Vereador de Riacho de Santana desabafa em desfavor das chantagens do Governo Federal para liberação da ajuda financeira aos municípios do Brasil, onde declarou que ” não apenas os prefeitos da Bahia, mas também nós vereadores, como legítimos representantes de seus municípios, preocupados com a realidade enfrentada no temeroso ano de 2017, devemos e podemos posicionar de forma revoltante com a atitude do Governo do Presidente Temer”.

Não é justo, nem razoável, que o Governo Federal condicione tal ajuda financeira e, para tanto, exige apoio politico para Reforma da Previdência. Segundo Jackson Bonfim o governo usa de uma trama ardil, de manobra desleal, tentando ludibriar os prefeitos da Bahia e do Brasil, enganando e dissimulado uma expectativa falsa de apoio aos municípios.

O Vereador em apoio as declarações do prefeito de Bom Jesus da Lapa, presidente da UPB, disse que o termo “molecagem” é o minimo que se pode atribuir a atitude do Governo Federal, pois os meios utilizados para a ajuda financeira prevista aos municípios do Brasil e, sobretudo, da Bahia, mostra a pilantragem que esse governo ilegitimo usa para se manter no poder a trancos e barrancos.

Segundo o parlamentar municipal essas não são as atitudes que o povo riachense, baiano e brasileiro espera de um Governo que tenha compromisso com a nação.

Isso nos mostra a verdadeira façanha que se instaurou perante o Governo Federal que, para liberar recursos, condiciona seus repasses a apoio politico em desfavor do povo, neste caso, a Reforma da Previdência.

Vamos juntos em favor de nossos municípios, em favor da Bahia e do Brasil, nos mostrar indignados com essa realidade, pois tais posicionamentos visam, único e exclusivamente, defender interesses isolados em desfavor dos interesses genéricos do nosso povo carente.
Destacou o Vereador em entrevista concedida Noticia da Bahia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *