Experiências inovadoras para agricultura familiar são apresentadas em encontro

O Território Velho Chico sediou, esta quinta-feira (21), a primeira edição do Encontro Interterritorial de Pesquisa e Extensão voltado para a Agricultura Familiar e o Desenvolvimento Rural Sustentável, promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Coordenação Executiva de Pesquisa, Inovação e Extensão Tecnológica (Cepex), em parceria com a Rede Baiana de Pesquisa, Ensino e Extensão em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural Sustentável.

O evento, realizado no auditório do Instituto Federal Baiano (IFBaiano), no município de Bom Jesus da Lapa, tem o objetivo de aprimorar o diálogo e a relação cooperativa entre os movimentos sociais representativos da agricultura familiar, povos e comunidades tradicionais, agricultores experimentadores e instituições de ensino, pesquisa e extensão.

Participaram do evento, que começou na quarta-feira (20), cerca de 140 estudantes, agricultores familiares experimentadores, extensionistas, pesquisadores, professores, povos e comunidades tradicionais, agentes públicos e movimentos sociais dos Territórios de Identidade Velho Chico, Bacia do Rio Corrente e Bacia do Rio Grande.

Para o gestor da Cepex, José Tosato, é uma honra dar voz aos agricultores experimentadores e abrir espaço para os protagonistas do desenvolvimento rural interagirem entre si e com as instituições de ensino e pesquisa dos três territórios: “Os participantes elogiaram a iniciativa da Cepex, em parceria com a Rede e Pesquisa. Foi um sucesso absoluto e avaliado por todos os participantes como uma oportunidade de troca de conhecimento entre os diversos participantes e de intercâmbio, com visitas marcadas.

O público participante teve ainda a oportunidade de conhecer experiências como a da produção agroecológica integrada sustentável, da Associação Comunitária de Brejinho, do município de Santana, a confecção de artesanatos em tala de buriti, do município de Barra, e a produção de mudas de umbu gigante de Serra do Ramalho.


Experiências exitosas

O apicultor Aldo Rodrigues de Souza, da Associação de Criadores e Pequenos Produtores de Bandarra, do município de Morpará, apresentou a experiência de armazenamento de quadros de melgueiras em dornas: “Viemos apresentar a nossa experiência em apicultura, que é a de armazenar os quadros em tonéis de plástico, protegendo do ataque das traças, o que era um grande problema para o apicultor, em períodos de entressafra, e aprender outras tecnologias mostradas aqui no evento”.

Para o agente de Apicultura no município de Morpará, Guibson Queiroz, “com esse método de guardar os quadros das melgueiras em período de seca, conseguimos aumentar a produtividade do enxame, gerando mais renda para os apicultores”. Queiroz ressaltou que a produção de mel, além de melhorar a qualidade, passou de 20 toneladas, em 2014, para 54 toneladas no ano de 2016.

Dermeval Gervásio, da coordenação Territorial e da Fundação de Desenvolvimento Integrado do São Francisco (Fundifran), o evento foi muito importante para o território, pela necessidade de relação das universidades com a extensão, e com as entidades que fazem a assistência técnica e extensão rural (ATER): “Além de trazer experiências exitosas para os agricultores, trouxe, de fato, inovações, com a perspectiva de obter uma tecnologia que adaptasse à realidade dos agricultores, para resolver seus problemas. Os experimentadores também deixaram demandas para as universidades, para que elas possam aperfeiçoar essas tecnologias”.

No encontro foi possível conhecer um pouco da história da Rede, criada em 2015, e a interiorização das ações integradoras entre a agricultura familiar e as instituições de ensino e pesquisa. Como resultado do encontro foi decidida a criação de um núcleo da Rede nesses três territórios para promover essa integração e articulação entre os atores sociais e as instituições de ensino e pesquisa.

O encontro contou com a presença de agricultores experimentadores, movimentos sociais da agricultura familiar, Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob), Centros Territoriais de Educação Profissional (Ceteps), Institutos Federais (IFs), Escolas Família Agrícola (EFAs), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), entidades prestadoras de assistência técnica e extensão rural (ATER) e colegiados territoriais, além dos técnicos da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater/SDR) e da Companhia de Desenvolvimento Rural (CAR/SDR) dos Serviços Territoriais de Apoio à Agricultura Familiar (SETAFs) Velho Chico, Bacia do Rio Grande e Bacia do Rio Corrente.

A Rede Baiana de Pesquisa, Ensino e Extensão em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural Sustentável é formada por instituições parceiras que se propõem a promover a articulação entre pesquisa, ensino e extensão nas universidades, instituições de ensino e de pesquisa, secretarias de estado, movimentos sociais e organizações da agricultura familiar, visando o desenvolvimento rural sustentável, com prioridade na transição agroecológica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.