Estação de tratamento de Barreiras recebe certificação comprovando excelência em sua operação

Equipamento trata atualmente 205 litros/segundo de esgoto coletado e transportado pela rede instalada em 72% da sede municipal 

A estação de tratamento de esgoto de Barreiras, operada pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), recebeu, no final do ano passado, certificação de excelência em sua operação pela Agência Nacional das Águas (ANA), dentro do Programa de Despoluição de Bacias Hidrográficas (Prodes). A empresa comprovou, desde a sua construção e operação, em 2014, que o empreendimento é altamente eficiente no tratamento e na disposição final do efluente que retorna ao meio ambiente sem risco de poluição, diferente do que ocorreria com o despejo de grandes quantidades de esgoto diretamente no rio Grande.  Além de incentivar a implantação de estações de tratamento, o Prodes tem como objetivo principal reduzir os níveis de poluição em bacias hidrográficas e proteger da poluição os mananciais de sistemas de produção de água. 

O gerente da divisão de esgotamento sanitário, Vagner Pereira, explica que o Prodes/ANA acompanhou, a cada três meses, a evolução na operação da estação de tratamento de esgoto de Barreiras. “O relatório final de avaliação técnica da agência reconhece o trabalho desenvolvido pela Embasa na coleta, tratamento e disposição final de efluente. O esgoto coletado “in natura”, passa por todo o processo de tratamento, desde o gradeamento com a retirada dos resíduos sólidos, passando pelo processo de tratamento biológico, com a presença de bactérias aeróbias, e decantação. Depois de todo esse processo, o esgoto coletado em Barreiras passa a ter uma eficiência de remoção do DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio) de 92%, muito acima dos limites permitidos pela Resolução do Conama 430/11, cuja eficiência mínima não pode ser inferior a 60%”, reforça. 

Estrutura – A estação de tratamento de esgoto de Barreiras é composta por três digestores anaeróbios de fluxo ascendente (Dafas), com dois módulos cada, seis leitos de secagem, três lagoas facultativas e emissário final. Com investimento de R$ 8,7 milhões, a Embasa vem trabalhando na expansão da rede de esgotamento sanitário para a futura operação do serviço de coleta e tratamento nos bairros da Barreirinhas, Morada Nova, Morada da Lua e parte do São Sebastião, em Barreiras. A estação de tratamento recebe atualmente uma média de 205 litros/segundo de esgoto coletado e transportado por meio de 296 quilômetros de rede instalada, com serviço prestado para 41 mil imóveis, correspondendo a 72% da sede do município de Barreiras. 

Assessoria de Comunicação da Embasa 

Unidade Regional de Barreiras (UNB) 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.