Escolas públicas do país perderam quase 650 mil matrículas, aponta Censo Escolar 2020

As escolas públicas do Brasil tiveram queda de quase 650 mil matrículas entre 2019 e 2020, conforme mostra os dados finais do Censo Escolar da Educação Básica 2020, divulgados no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (31) pelo Ministério da Educação.

De acordo com o G1, os dados refletem a situação anterior à pandemia, e têm a data de 11 de março como referência. Segundo o levantamento, em 2020 houve 35.961.237 matrículas na educação básica pública – da creche ao ensino médio, incluindo a educação de jovens e adultos.

No entanto, comparando com o ano de 2019, o Censo Escolar apontou que no ano passado havia 36.611.223 matrículas. Ou seja, uma diferença de 649.986 ou queda de 1,7%.

Ainda conforme o G1, as principais quedas e aumentos percentuais na educação básica pública, de acordo com o Censo Escolar 2020, são:

Queda de 30,4% nas matrículas do ensino fundamental integral dos anos finais (6º ao 9º ano); queda de 21,21% em matrículas no ensino fundamental integral dos anos iniciais (1º ao 5º ano); aumento de 21,51% nas matrículas no ensino médio integral; queda de 10,15% nas matrículas da educação de jovens e adultos (EJA) do ensino fundamental.

Os anos finais do ensino fundamental e o ensino médio são considerados as etapas mais problemáticas nas avaliações de ensino e aprendizagem. Em 2019, pela quarta vez consecutiva, o Brasil não atingiu o mínimo proposto para este nível de ensino, segundo dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Os dados completos, incluindo escolas privadas, serão divulgados em janeiro de 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.