Dedê e Arival deixam caminho livre para João Neris

Com a rejeição de suas contas pelo Tribunal de Contas dos Municípios, o prefeito Dedê Alves pode ficar de fora da disputa pela reeleição, graças à Lei de Responsabilidade Fiscal, que estabelece que um político que tenha suas contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios e a Câmara Municipal mantiver a rejeição, fique inelegível por oito anos. O resultado pode causar uma reviravolta no atual cenário político Buritiramense, que impactará diretamente nas próximas eleições no município. Além do atual gestor, o principal adversário e ex-prefeito do município, Arival Viana, também teve suas contas rejeitadas. Arival teve rejeitadas as contas de 2015 e 2016.

Radialista pode ter caminho livre para chegar à prefeitura de Buritirama

Com penetração em todas as alas e a alta cúpula em Salvador tendo em sua candidatura uma possível alternativa, principal nome em pesquisas internas, o radialista João Neris poderá ter o caminho livre, por encontrar campo fértil e uma estrada aberta para ocupar o posto de prefeito da cidade. Como João Neris já tornou pública a sua candidatura a prefeito, nesses primeiros dias de conversas, o postulante garantiu que diversas lideranças locais e regionais têm adiantado apoios.

Como somente o Legislativo pode declarar prefeito inelegível por rejeição de contas, para que o fato que pode mexer com o cenário político e eleitoral de Buritirama se concretize, depende do parecer da Câmara Municipal. Se os Vereadores do município acatarão ou não o posicionamento do Tribunal de Contas, vai depender de muitos acordos. Somente após o parecer da Câmara, que hoje é presidida por João Luiz Ramos de Oliveira (Jota de Termício) que também tem contas rejeitadas, começará a se desenhar o panorama que definirá o futuro político da cidade. Quem viver verá.

 

Fala Barreiras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *