Bolsonaro defende PM por massacre em Carajás

O pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro mais uma vez entoou um discurso polêmico. Em visita ao Eldorado do Carajás, no Pará, o deputado carioca defendeu a Polícia Militar no episódio da morte de 19 sem-terra na região, em 1996, que ficou conhecido como o “Massacre do Carajás”.

“Quem tinha que morrer era o pessoal do MST, gente canalha e vagabunda. Os policiais reagiram para não morrer”, disse Bolsonaro. O discurso foi feito na Curva do S, trecho da BR-155, no local onde os sem-terra foram mortos pelos policiais. Dez deles, foram encontrado com marcas de tiro à queima roupa. Os agentes foram comandados pelo coronel Mário Pantoja, condenado a 228 anos de prisão.

Após a fala, Bolsonaro foi aplaudido por um grupo de policiais, de acordo com o Estadão. Em sua passagem pelo Pará, o pré-candidato prometeu tirar o Estado do “cangote” dos ruralistas e defendeu outras temas de interesse dos produtores.

O presidenciável do PSL disse que irá aumentar a repressão a movimentos ruralistas – como o MST – e “segurar” as multas ambientais:

“Não vai ter um canalha de fiscal metendo a caneta em vocês”, disse o deputado em reunião com fazendeiros.

bahia.ba

One thought on “Bolsonaro defende PM por massacre em Carajás

  • julho 15, 2018 at 3:17 pm
    Permalink

    Esse Bolsonaro é um radical e corporativista. Do jeito que as coisas estão neste país, é um forte candidato para as próximas eleições.
    Não fora assim que Ritler chegou ao poder?
    É preciso exterminar esse pretenso poder de propriedade dos homens para com as mulheres, senão veremos piores casos como esse gineco-pimenticio!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *