Após consulta pública, governo diz que maioria é contra receita médica para vacinação infantil

Depois de divulgar dados conflitantes, o governo federal anunciou, nesta terça-feira (4), que a maioria dos brasileiros que responderam à consulta pública sobre a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19 foi contra a obrigatoriedade de apresentar receita médica para a imunização deste público.

Segundo o G1, o governo informou também que a maior parte das pessoas se posicionou contra a vacinação obrigatória das crianças. Apesar deste resultado, o levantamento não permitia que os participantes se manifestassem a favor da obrigatoriedade, já que não havia perguntas sobre ser a favor da imunização obrigatória.

O resultado da consulta pública foi anunciado pela secretária extraordinária de enfrentamento à Covid-19, a médica Rosana Leite de Melo, durante a audiência pública nesta terça-feira (4). Segundo o site, ela não detalhou sobre o número de respostas para cada pergunta, mas disse que 99.309 pessoas participaram da pesquisa. Na véspera, no entanto, o Ministério da Saúde havia informado que recebeu cerca de 24 mil respostas.

Controversa, a consulta pública recebeu críticas de especialistas e teve problemas durante o processo. Quando foi lançada, ela funcionava por meio de formulários da Microsoft, mas a plataforma esgotou sua capacidade de receber resposta e foi substituída por um espaço hospedado em uma página oficial do governo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.