Abapa recebe homenagem pelo apoio ao Centro Estadual de Educação Profissional Águas – CEEP Águas

A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), representada pelo seu presidente, Luiz Carlos Bergamaschi, recebeu do vice-governador da Bahia, João Leão, as “chaves” do Centro Estadual de Educação Profissional Águas – CEEP Águas. O ato simbólico aconteceu no Centro de Administrativo da Bahia, em Salvador, no dia 14 de dezembro, como uma homenagem à associação pelo apoio concedido à fazenda-escola, instalada no município de Barra, para formação profissional de jovens da região, distante cerca de 300 quilômetros de Barreiras. O CEEP faz parte do Projeto Estadual de Desenvolvimento Sustentável da Região do Médio São Francisco, que tem como meta a incorporação de tecnologia, geração de conhecimento e fomento a novas atividades econômicas, como a produção de energia renovável. Em março deste ano, Bergamaschi e o diretor-executivo da Abapa, Lidervan Morais, foram conhecer o projeto de perto, e ficaram impressionados com o que viram. A Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) também foi homenageada na ocasião.

Para a execução do projeto, a Abapa disponibilizou máquinas, implementos e operadores. A entidade também forneceu os insumos agrícolas, como sementes de brachiaria e crotalária, calcário, fertilizantes, dentre outros, suficientes para a implantação de uma área de 150 hectares do total de 200 hectares da fazenda, sendo 100 hectares irrigados. “Para a Abapa, é gratificante contribuir para uma iniciativa de educação como esta. A chave que recebemos é um símbolo das portas abertas nesta fazenda-escola, mas é, também, uma representação do papel que a educação desempenha para as pessoas e para o desenvolvimento do nosso estado, e do país. Acreditamos que a educação é a chave para a transformação de vidas e realidades, e, por isso, damos, a ela muita prioridade em nossa associação”, afirmou o presidente da Abapa. Embora não seja um polo produtor de algodão, o município de Barra tem uma importância agrícola e histórica, e uma grande sinergia com os municípios do cerrado que compõem o Oeste do estado.

De acordo com o vice-governador, com a escola, são oferecidos meios práticos para que os alunos se profissionalizem. “Os muitos empresários e parceiros que se engajaram ao projeto estão ajudando a viabilizar o desenvolvimento integrado desta importante região. E, para isso, é fundamental que os estudantes consigam experimentar o aprendizado em um projeto com a diversidade que esse tem”, disse João Leão. Além da Abapa e da Aiba, cotonicultores do Oeste também colaboraram individualmente para esta iniciativa, como os grupos Busato, Zanella e Schmidt.

Agenda repleta

A homenagem à Aiba e à Abapa foi uma das etapas da agenda de reuniões das duas entidades em Salvador, que incluíram a reunião do Conselho Gestor do Programa para o Desenvolvimento da Agropecuária (Prodeagro). Composto por representantes da Associação de Agricultores e Irrigantes do Oeste da Bahia (Aiba), da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), da Fundação de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento do Oeste Baiano (Fundação BA), da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Reforma Agrária, Pesca e Aquicultura (Seagri), da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), o Conselho Gestor aprovou, por unanimidade, seis projetos de editais do Prodeagro. Participaram da reunião, além dos presidentes da Abapa e da Aiba, respectivamente, Luiz Carlos Bergamaschi e Odacil Ranzi, o secretário de Agricultura da Bahia, João Carlos Oliveira, e o diretor geral da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Oziel Oliveira, a presidente da Fundação Bahia, Zirlene Zuttion, além de técnicos dos órgãos componentes do Prodeagro.

O orçamento é investido em ações diversas, com a finalidade de fortalecer a agropecuária, dentre elas, projetos voltados à defesa fitossanitária, pesquisa científica, meio ambiente, marketing, dentre outros temas.

“O Prodeagro tem sido, desde a sua instituição, um catalisador do desenvolvimento do Oeste da Bahia. Dentre as várias aplicações deste importante instrumento, destaco os recursos aplicados no programa de recuperação e pavimentação asfáltica de estradas vicinais, no qual grande parte das obras são executadas pelo Patrulha Mecanizada, da Abapa. Só de janeiro deste ano, até hoje, 55 quilômetros de estradas vicinais foram pavimentados e 465 quilômetros recuperados. Além disso, o Patrulha Mecaniza executa obras que ajudam na conservação ambiental no entorno das rodovias, com a construção, por exemplo, de barraginhas para a captação da água da chuva. Desde sua criação, em 2013, já foram mais de quatro mil quilômetros na região”, afirmou Bergamaschi.

15.12.2021

Imprensa Abapa

Catarina Guedes – Assessora de Imprensa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.