Soldado da PM e comparsa são presos após sequestro em Lauro

Os sequestradores Pablo Luiz Machado Brito e Carlos Eduardo Amâncio da Silva foram presos por investigadores do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), na noite desta quinta-feira (21), na BA-099, conhecida como Estrada do Coco. Carlos Eduardo é soldado da Polícia Militar.

De acordo com a polícia, a dupla foi detida após receber o resgate de uma família que vinha sofrendo extorsão desde as 11h da manhã, em Camaçari. A saga só terminou às 19h30.

Segundo o delegado Cleandro Pimenta, da coordenação de Sequestro e Extorsão do Draco, os criminosos estavam armados e usavam distintivos da Polícia Civil, quando abordaram um grupo com seis pessoas no bairro de Jardim Limoeiro. Eles se identificaram como investigadores do Draco.

“Pablo e Carlos pediram para homens e mulheres ficarem pelados e passaram a interrogá-los. Quando a vítima disse que já tinha passagem pela polícia, foi conduzida para o veículo, um fiesta vermelho”, disse o delegado.

Após horas circulando por Arembepe, Cascalheiras e Camaçari, os criminosos entraram em contato com a família e pediram recompensas para liberar a vítima. Foi combinado que seria pago uma moto, modelo Bis, dois televisores de 24 e 32 polegadas e o valor de R$ 1 mil. Quando o material foi entregue, os bandidos liberaram a vítima.

Após a liberação, os homems, que eram monitorados, foram abordados por agentes. “Carlos pilotava a moto entregue como parte do resgate, e logo atrás estava Pablo, dirigindo um fusion prata onde foram encontrados os televisores e o dinheiro”, explicou o delegado Pimenta.

Com eles também foram apreendidos duas armas de fogo, uma registrada em nome do policial, e a outra pertencente a Pablo, duas brucutus, três coletes balísticos, rádios de comunicação, seis celulares, máquina de choque e placas falsas de veículos.

Os suspeitos foram autuados em flagrante por extorsão mediante sequestro e Pablo por porte ilegal de arma de fogo. O soldado da PM irá para o sistema prisional, e Carlos foi encaminhado para a Corregedoria da Polícia Militar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *