OAB-BA manifesta pesar pela morte de PM e diz que crime teve ‘requintes de crueldade’

A OAB da Bahia e a sua Comissão de Direitos Humanos, em nota, manifestaram pesar e consternação pela “bárbara execução, precedida de indescritíveis atos de tortura com requintes de crueldade”, que ceifou a vida de Gustavo Gonzaga da Silva, 44 anos, cabo da Polícia Militar da Bahia, no último sábado (9) . A OAB afirma que o crime “viola de forma aviltante e inaceitável a dignidade da pessoa humana” e que o fato merece o “manifesto e inconteste veemente repúdio por parte desta entidade de classe bem como de toda a sociedade”. Na nota, a OAB lamenta que, crimes como esse, “se circunscrevem em uma restrita categoria de crimes contra humanidade capazes de implicar indivíduos como seus agentes e responsáveis diretos”. “Nesse sentido, urge que os criminosos sejam trazidos à justiça e exemplarmente punidos, conforme determinam os estritos rigores da lei e os limites do estado de direito”, declara. A OAB ainda manifestou solidariedade à Corporação da Polícia Militar da Bahia e pêsames à família da vítima.

One thought on “OAB-BA manifesta pesar pela morte de PM e diz que crime teve ‘requintes de crueldade’

  • junho 14, 2018 at 9:01 am
    Permalink

    Muito tarde essa nota, não acham…. Se fosse um ladrão QQ, em menos de 30 minutos os DH já estavam criticando e falando que os policiais executaram o, vamos dizer, cidadão coitadinho indefeso.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *