Mulher grávida é condenada a pena maior que de réus da Lava Jato por roubar ovos de Páscoa.

A Defensoria Pública de São Paulo entrou com uma ação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para pedir a anulação da sentença de uma mulher que roubou ovos de Páscoa em um supermercado da cidade, em 2015.
Segundo informações da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, a mulher estava grávida quando recebeu a sentença e foi condenada pelo Tribunal de Justiça do município (TJ-SP) a cumprir três anos e dois meses de prisão em regime fechado – pena que chega a ser maior do que de réus da Lava Jato. Um exemplo é o executivo João Procópio Junqueira, que foi sentenciado a dois anos e seis meses de prisão por lavagem de dinheiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.