Luis Eduardo Magalhães = Suposto corretor é preso após aplicar golpe ao vender imóveis que não existem

Um suposto corretor de nome Jean Carlos Paulino, de 30 anos, foi preso nesta segunda-feira (08), pela Polícia Civil no bairro Jardim das Acácias, depois de vender imóveis que não existe na cidade de Luis Eduardo Magalhães.

Uma das vítima que denunciou o estelionatário disse em depoimento na Delegacia de Polícia Civil, que viu o anúncio das casas à venda no site, e procurou Jean Carlos para lhe ajudar com o procedimento de adquirir um imóvel, o mesmo cobrou R$ 5 mil pela entrada mais parcelas de R$ 300 reais mensal, totalizando R$ 90 mil o valor do imóvel. A vítima N.C.S, firmou o contrato  de prestação de serviço de corretagem imobiliária. O mesmo pagou a Jean o valor de R$ 3mil, para que esse desse entrada na documentação no banco conforme combinado.

Ainda segundo a vítima o corretor mostrou cerca de quatro a cinco casas, mas o negócio nunca se concretizava, pois o corretor informava que o proprietário já teria vendido as casas e que não seria mais possível  negociar os referidos imóveis mostrados. No ano de 2015 o corretor procurou a vítima N.C.S, exigindo o pagamento de mais R$ 1mil reias referente ao adiantamento de comissão e pagamento da documentação de um imóvel situado na rua Pau Ferro, bairro Jardim das Acácias, eu na boa fé terminei pagando o valor exigido, lamentou a vítima.

Uma segunda vítima caiu no golpe do estelionatário. A vítima de iniciais F.S.S, também denunciou a Polícia que foi vítima de um golpe, ele deu R$ 10 mil de entrada em uma casa que não existe. O estelionatário mostrou vários contratos (com assinatura falsa) que segundo ele tinha feito com outros clientes e que o mesmo podia confiar no seu trabalho.

A vítima só desconfiou do golpe devido a demora na entrega do imóvel. Foi quando ele começou a pesquisar a existência da casa, onde chegou a conclusão que era uma farsa/golpe, após conseguir falar com o suposto dono do imóvel que relatou não ter conhecimento da venda da casa e era uma armação ele tinha caído no golpe.

A segunda vítima entrou em contato com o suposto corretor Jean Carlos que confirmou ser um golpe. O corretor disse à vítima que fez isso para pagar as parcelas da casa dele pois estava com medo de ser despejado, fazendo um acordo com a vítima que iria devolver o dinheiro. Não cumprindo o acordo, fazendo com que às vítimas denunciassem.

O acusado foi preso pela Polícia Civil de Luis Eduardo Magalhães pelo Art. 171 – Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, (crime de estelionato), o mesmo está a disposição da justiça.
Blogbraga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *