CONJUNTO PENAL DE VITÓRIA DA CONQUISTA PROMOVE Iª EXPOSIÇÃO DE ARTESANATO E PRODUTOS CONFECCIONADOS NA PROPRIA UNIDADE DURANTE A 52ª EXPOCONQUISTA*

Nos dias 16, 17 e 18/03 o Conjunto Penal de Vitória da Conquista participou da 52ª EXPOCONQUISTA, uma das maiores feiras de agronegócios do país, sendo um evento que conta com cursos, palestras e capacitações, além da presença de grandes bancos, concessionárias, construtoras e imobiliárias, sendo que diversas marcas são conhecidas na Indústria e no comércio local.
Nesse viés, o Conjunto Penal de Vitória da Conquista que é uma unidade prisional de que é administrada no modelo de cogestão, entre o Governo de Estado e a Empresa Socializa, estará participando do evento promovendo uma exposição de produtos que são confeccionados pelos próprios reeducandos nas diversas oficinas que funcionam naquele estabelecimento penal, com a participação de diversos colaboradores da Unidade.
Segundo o Cap PM Gilberto Silva, Diretor da Unidade: “É uma oportunidade de mostrar para a sociedade o trabalho que vem sendo desenvolvido no interior do CPVC. É fruto de um trabalho em equipe, cujo objetivo principal é proporcionar ao reeducando a oportunidade de aprender um ofício para que no seu retorno ao convívio social seja uma ferrementa facilitadora para sua reinserção na sociedade”.
O Conjunto Penal de Vitória da Conquista está realizando a sua primeira Exposição dos Projetos, entre eles, o Projeto Liberdade Sustentável, que oferece cursos de Corte e Costura, Fabricação de Chinelos e Serigrafia; o Projeto Semeando Liberdade (Horta) e dos Grupos de Artesanato e de Pintura. Esses Projetos são supervisionados pelos profissionais de Terapia Ocupacional e Psicologia.
Com relação aos projetos, a Terapeuta Ocupacional Amanda Letícia diz que: “Além do benefício de se qualificar para o mercado de trabalho, o vai sendo semeado no reeducando um sentimento de utilidade, de que ele tem valor e pode colaborar para a construção de uma sociedade igualitária. Salientando ainda, que mesmo em privação de liberdade, o reeducando pode ter a sua pena reduzida, através da remição pelo trabalho”.
Nesse contexto, a Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização – SEAP reforça cada vez que, ressocializar é integrar, recuperar e agir, papel não somente do Governo, mas também de toda a sociedade envolvida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *