Bahia é o segundo estado que mais mata transexuais no país

A Bahia é o segundo estado que mais mata transexuais no país. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (25), pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), e mostram que foram 17 mortes registradas só neste ano: é o maior índice nos últimos dez anos.

No Brasil, o número sobe para 179 assassinatos de travestis e transexuais. Isso significa que morre uma pessoa trans a cada 48 horas. Em 94% dos casos, as vítimas eram do gênero feminino. A secretária de Articulação Política da Antra e autora do estudo, Bruna Benevides, disse que o machismo é um dos propulsores da violência, pois é a “semente do ódio e do preconceito”.

“É como se os corpos dessas pessoas que desafiam as normas tivessem que ser expurgados da sociedade. E é isso que a sociedade tem feito”, disse.

Minas Gerais lidera o ranking com 20 mortes contabilizadas. O Nordeste é a região com a maior taxa em relação ao país, com 69 casos. Quase 70% das vítimas eram jovens, com idade entre 16 e 29 anos, e em 80% dos casos eram de cor parda ou preta. Deste total, 55% aconteceram na rua, o que é justificado pelo alto índice – 70% – de profissionais do sexo entre as assassinadas.

Segundo a autora, o relatório é feito com base em matérias de jornais e informações que circulam na internet, e com relatos enviados para a organização. Ainda não existem dados oficias sobre a violência contra a população trans.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *