Aspirante do 17º GBM dá dicas importantes sobre como evitar acidentes com botijão de gás

Gás liquefeito de petróleo (GLP) é o nome correto para o que popularmente conhecemos como gás de cozinha. A substância está presente diariamente na vida de inúmeras pessoas, seja nas residências, no comércio, na indústria ou até mesmo na prestação de serviços.

Tamanha importância traz também muita responsabilidade, especialmente na hora do manuseio do botijão de gás, umas das formas clássicas de distribuição do GLP. Por essa razão, o aspirante BM Diego Santtos, do 17º Grupamento de Bombeiros Militar (17°GBM/Barreiras), dá dicas fundamentais sobre o tema.

O primeiro aspecto a ser observado, segundo ele, é a instalação do botijão, que não deve ser colocado em ambiente fechado. Também é preciso observar os acessórios. 

“É necessário utilizar mangueira e registro aprovados pelo Inmetro. A mangueira é transparente, tem uma tarja amarela e não deve passar por trás do fogão. Já o registro vem com a marca Inmetro gravada. Ambos são válidos por cinco anos e precisam ser substituídos com o prazo, caso não deem problema antes”, explica.

O aspirante pontua que não se deve utilizar ferramentas na hora de rosquear o registro, mas apenas as mãos. Ao fim da instalação, é importante usar espuma de água e sabão para conferir se há vazamentos.

“Se o gás estiver vazando, não acenda nada, não acenda lâmpadas ou provoque qualquer centelha, já que isso pode causar uma explosão no ambiente, tendo em vista que o botijão, em si, não explode”, esclarece.

Por fim, outra  recomendação importante é a de favorecer a ventilação do ambiente, abrindo portas e janelas, se afastar do local e acionar o Corpo de Bombeiros pelo 193.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *